Teve BC, sim senhor!

Esse post é a história do meu cabelo até eu fazer o BC. Todas as fotos foram feitas com meu celular (Redmi 2 pró) e as que tem edições foram com aplicativos. O post é um pouco longo.

Pra quem não sabe, o BC ou BIG CHOP é quando a pessoa corta o cabelo pra se livrar da química. Isso mesmo, corta toda a química. Dependendo de quanto tempo a pessoa esperou entre a última química e o corte, o cabelo pode ficar curtinho, ou não tão curto assim. A quase um ano que venho lendo sobre BC, cronograma capilar e no/low poo (não vou entrar nesses assuntos pq não domino conhecimento), e sempre vi meninas cacheadas e crespas fazendo o BC. E enfim, chegou a minha hora!

Minha mãe tem cabelos crespos. Meu pai e minhas irmãs tem cabelos SUPER lisos. Meus cabelos eram lisos com cachos nas pontas quando eu era criança. Por volta dos 10, 11 anos, meu cabelo começou a mudar. Ganhou volume e ficou ondulado. A estrutura do fio mudou, mas ainda era um cabelo bem bonito, grande, volumoso. Por volta dos 13, 14 anos, uma prima me ensinou a "cachear" os cabelos com óleo mineral e fitagem. Eu não sabia que o nome disso era fitagem, mas isso já existe a muuuuuuito tempo. E aí comecei a fase cacheada. Meu cabelo cacheou de vez. Eu não precisava mais de fitagem, somente creme de pentear, cuidados básicos, shampoo, condicionador, uma hidratação caseira de vez em quando, que naquela época a gente chamada de "coquetel". Não lembro do meu cabelo, mas vejo pelas fotos, que eu tinha um cabelo cacheadão, volumoso, grande e maravilhoso. Eu tenho fotos dessas épocas escaneadas e perdidas em algum cd da vida. Mas um dia enjoei dos cachos e resolvi mudar. 


Comecei a fazer químicas no cabelo aos 15 anos, ou seja, são quase 2 décadas maltratando meus cabelos. Eu nem lembrava mais como meus cachos eram, e me surpreendi em sair do salão com o cabelo cacheadíssimo. Durante esses quase 19 anos, fiz pouquíssimos alisamentos (qualquer escova que prometesse alisar os fios). Mas eu fiz muitos relaxamentos, e nunca tive os cabelos alisados por química. Sempre tinha que fazer chapinha ou escova. E isso cansava. E esquentava....


Às vezes eu falava brincando que ia raspar a cabeça pra sair toda a química. Eu nunca fui muito dependente de química, mas tinha que fazer pelo menos uma vez no ano o relaxamento. No período da minha gravidez, e por muito tempo ainda depois que meu filho nasceu, fiquei sem química. Era a minha chance de ter o cabelo natural. E ele estava bem grande, ou seja, era só cortar o restinho da química. Mas eu não ousava imaginar meu cabelo curto. Na realidade, ele nem precisaria ficar tão curto. mas como eu já não conhecia mais a estrutura do meu cabelo, e ele estava muito maltratado, ressecado e quebrado, pois eu realmente não cuidava dele, eu achava que ele tinha "ficado" crespíssimo. E eu não queria um cabelo crespo. Sim, eu achava feio :/ E ficava nessa, fazia relaxamento, passava 3 ou 4 meses fazendo chapinha, e quando a rapiz crescia, começava o desespero de não conseguir alisar a raiz. Então, o cabelo ficava com duas texturas, ou eu voltava a usar cacheado. Mas os cachos não eram naturais, definidos.


Eu fiz um relaxamento em maio de 2015. E então, mais ou menos na metade do ano (2015), descobri o no/low poo e o cronograma capilar, e as maravilhas que essas técnicas fizeram nos cabelos de muitas mulheres, principalmente cacheadas e crespas. Eu via aqueles cachos maravilhindos e ficava cada dia mais apaixonada. Eu sempre achei lindo cabelos cacheados. Eu não gostava era dos meus cachos. Fui ficando com vontade de cortar tudo de novo e voltar aos cachos. Afinal, as químicas não entram na rais do cabelo, e o dia que eu quisesse e tivesse coragem pra cortar e paciência pra cuidar e esperar crescer, eu teria meu cabelo cacheado. 

Mas na minha cabeça o meu cabelo seria feio. O meu cabelo estava bem grande. Lógico que a parte alisada pesava e "esticava" a raiz sem química. Dessa forma, meu cabelo ficava com uma raiz alta, frizzada e sem definição. Ou seja um aspecto horrível :(. E aí eu comecei a trabalhar na Casa da Moeda, e eu fiquei na dúvida se eu cortava tudo e começava a fazer no/low poo ou se eu fazia um relaxamento seguido de uma progressiva. Aí ia alisar. Aí ia ficar lindo. Aí eu ia me livrar da chapinha. Aí eu ia poder molhar os cabelos todos os dias no calor infernal do Rio de Janeiro. Eu inocente, não sabia era de nada...

Meu cabelo ficou todo estragado, sim, a palavra é essa. Ele não alisou, nem cacheou. Ficou sem forma, volumoso demais, poroso e sem brilho. Não estava quebrado, não houve corte químico, e quando eu usava chapinha ficava bem bonito. Mas era só molhar que já viu... Comecei a comprar ampolas de tratamento, pois eu já usava bons cremes de hidratação, mas nada dava jeito. A cabeleireira sugeriu que eu fizesse uma nova progressiva ou outros procedimentos, mas eu não quis mais arriscar. Estava bem triste com meu cabelo. Isso foi em novembro de 2015. 

Em janeiro desse ano, resolvi cortar a parte horrorosa do meu cabelo. Ficou curto, na altura dos ombros. Não estava mais ressecado e nem armado. Porém estava sem forma e bem volumoso. Mas estava bem melhor. Posso dizer que melhorou uns 90%. Fiz escova e chapinha algumas vezes e ele ficava muito bonitinho, as pessoas gostavam, eu recebia elogios. Mas eu não estava gostando. Continuei hidratando sempre e cuidando como podia. Mas o cabelo foi crescendo, a raiz aparecendo, e o cabelo ficando armado, ressecado, poroso. Fazia fitagem, mas não tinha jeito. Cada dia que passava eu me achava mais feia. E mais triste eu ficava. Eu já não me maquiava, não me arrumava, e às vezes nem o cabelo eu penteava, só prendia num coque. Ali só milagre ou tesoura. Resolvi cortar.


Voltei a ver depoimentos de meninas que fizeram o BC e trataram seus cabelos, e eu definitivamente aceitei fazer o BC. Nisso, já tinham passado aproximadamente 6 meses desde a progressiva frustrada. Eu não queria cortar o cabelo pq não sabia como ficaria após o corte. Já que eu trabalho, não queria chegar lá com o cabelo pra cima (sério, jurava que meu cabelo ia ficar pra cima :p). Pelo menos com o cabelo grande, ainda dava pra prender, o que eu não poderia fazer com o cabelo super curto. Como eu sou estagiária e meu contrato está acabando, eu disse que cortaria o cabelo no último dia de trabalho, quando eu saísse de lá, passaria no salão pra tosar tudo! 

Nos dias 5 e 6 de maio, fiquei vendo muitos vídeos desse canal, e eles me ajudaram bastante a tomar a decisão final. No dia 7 de maio, perto da hora do almoço, peguei minha bolsa e só falei "Vou ali e volto já." No salão (claro que não foi onde eu fiz a progressiva), eu disse à moça: "Quero que vc corte toda a química, sem dó nem piedade." Ela perguntou se eu tinha certeza, e eu disse que absoluta! Prendeu meu cabelo no topo da cabeça e o resto vocês já sabem.


Acho que nunca me senti tão bem e tão aliviada na vida. Nunca curti tanto meu visual. Nunca tive tanta vontade de me arrumar e me sentir bonita. Nunca me senti tão bonita. Nunca fui tão elogiada. Nunca me maquiei tanto, e claro, nunca fiz tanta selfie hahahahaha Até o meu esposo que não gosta de cabelos curtos disse que eu combinei com o cabelo. As pessoas dizem que eu fiquei mais bonita, mais jovem, mais radiante e mais segura de mim.

Sempre tive uma auto-estima invejável, mas, tinha perdido ela nos últimos meses. Se eu me acho bonita de verdade? Sim, me acho. Se eu não me achar e não me amar primeiro, ninguém mais o fará. De forma nenhuma me arrependo das químicas (só da última, pq meu cabelo já estaria bem grande sem química), do corte e de nada que eu fiz. A vida é cheia de experiências que nos trazem aprendizados. Aprendi a me amar do jeito que eu sou, e a ser feliz com a beleza e naturalidade que Deus me deu. 

Eu gosto de pintar o cabelo, e isso eu não vou deixar de fazer. Porém, vou deixar ele descansar bem antes de pintar novamente. Mas isso é assunto pra outro post. Também quero começar no noo/low poo. Tratar pra sempre, e química nunca mais ;)





0 comentários:

Postar um comentário